ico Dicas de compra
04/02/2019

Veja como está a taxa de financiamento imobiliário nos principais bancos

compartilhe: icone twitter icone facebook icone messenger icone linkedin icone whatsapp icone email

Para quem está em busca da casa própria, é imprescindível ficar atento à taxa de financiamento imobiliário dos bancos. Afinal, o sistema imobiliário acaba de passar pela maior reforma dos últimos 20 anos, oferecendo diversos benefícios para a compra de imóveis.

O Conselho Monetário Nacional (CMN) oficializou, por meio da Resolução nº 4.676/2018, a mudança que simplifica as normas de direcionamento dos recursos da poupança, uma das maiores fontes do mercado pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

Conheça as principais mudanças no crédito imobiliário

A partir de agora, os bancos têm também mais liberdade para a indexação do contrato. Além disso, o leque de opções de financiamento imobiliário a partir do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) está mais amplo e flexível, alcançando imóveis de até R$1,5 milhão.

Com isso, as medidas trazem vários benefícios a milhares de pessoas. As regras, que entram em vigor em 2019, também estabelecem um teto de juros fixado em 12%, evitando cobrança abusiva.

Além do mais, será possível utilizar o montante acumulado do FGTS como entrada do imóvel, favorecendo os trabalhadores formais. Ao aproveitar a queda da taxa de financiamento imobiliário, é possível fazer um ótimo negócio.

Vendas devem aumentar a partir de 2019

Dessa forma, a expectativa é que o volume de vendas aumente bastante a partir de 2019. Deve-se ficar atento, no entanto, à modalidade de financiamento escolhida. A maior parte dos recursos para o crédito imobiliário vem da caderneta de poupança, que recebe 65% do total arrecadado pelo banco com a aplicação.

Até agora, 80% desse percentual era, obrigatoriamente, destinado ao SFH, mas as novas regras eliminaram esse mínimo obrigatório. Por outro lado, os financiamentos que não são SFH operam pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que oferece maior liberdade aos bancos e não tem limite da taxa de juros.

A ideia é que, assim, as condições sejam forjadas de acordo com o momento econômico – o que é favorável em épocas de inflação baixa e taxas fixas. Em épocas de instabilidade econômica ou recessão, no entanto, pode ocorrer justamente o contrário. Por isso, acompanhar de perto a taxa de financiamento imobiliário é fundamental para fazer uma boa escolha.

Principais taxas de financiamento

Caixa Econômica Federal

  • SFH – A partir de 9% a.a. + TR
  • SFI – A partir de 8,75% a.a. + TR
  • Pró-Cotista – A partir de 7,85% a.a. + TR

Banco do Brasil

  • SFH – A partir de 8,99% a.a. + TR
  • SFI – Comercialização suspensa
  • Pró-Cotista – 9% a.a. + TR

Itaú

  • SFH – A partir de 8,8% a.a. + TR
  • SFI – A partir de 9,3% a.a. + TR
  • Pró-Cotista – Não opera

Bradesco

  • SFH – A partir de 8,85% a.a. + TR
  • SFI – A partir de 9,3% a.a. + TR
  • Pró-Cotista – Não opera

Santander

  • SFH – A partir de 8,99% a.a. + TR
  • SFI – A partir de 9,49% a.a. + TR
  • Pró-Cotista – Não opera

Com os dados das taxas de financiamento imobiliário em mãos, é possível aproveitar as condições mais favoráveis para fazer o melhor negócio.

Aproveite para encontrar o seu imóvel ideal na RNI. Aqui você conta com a melhor assessoria imobiliária em todo o processo de compra. Venha conversar com um de nossos corretores!

Receba as nossas novidades de forma exclusiva!

fique por dentro! siga nossas redes sociais: