ico Dicas de compra
11/06/2019

4 fatores para avaliar a segurança em condomínio

compartilhe: icone twitter icone facebook icone messenger icone linkedin icone whatsapp icone email

Em virtude do grande aumento da violência urbana no Brasil, a segurança em condomínio fechado tornou-se pauta. Por consequência, a procura de um novo imóvel para morar aumentou as possibilidades de mudança para apartamentos.

Além de oferecer mais praticidade, esses empreendimentos são, normalmente, compostos por uma excelente infraestrutura. Como resultado, a capacidade de proteção dos moradores contra roubos, furtos e demais atividades violentas amplia.

Entretanto, antes de fechar negócio, queremos garantir que você faça a escolha certa. E, para isso, é importantíssimo analisar toda a estrutura do local. Isso fará toda a diferença no seu dia a dia e de toda a família.

Por isso, para te ajudar nessa tarefa, criamos este post com os principais pontos que devem ser verificados no condomínio. Acompanhe a leitura, aprofunde-se no assunto e viva com muito mais tranquilidade!

1. Facilidade de acesso

Certamente, todo mundo deseja viver em segurança, não é mesmo? Logo, o primeiro ponto analisado durante a busca, é a facilidade de acesso. Ou seja, o empreendimento facilita a entrada nos espaços internos? Ou as pessoas não autorizadas têm mais dificuldade para entrar no local?

Na maioria dos casos, os bandidos entram nos condomínios através de três lugares distintos. Veja abaixo quais são eles:

  • a garagem;
  • a entrada principal;
  • os fundos.

Sem dúvidas, é fundamental que a presença de câmeras de segurança e um monitoramento 24 horas em todos esses locais. Portanto, veja se a entrada dos moradores é liberada pelo porteiro, por dispositivos eletrônicos ou a moderna identificação por biometria (senhas, tags).

2. Monitoramento de câmeras

Como você já pode imaginar, o monitoramento de câmeras é um dos fatores indispensáveis para quem preza pela segurança em condomínio. Basicamente, esses sistemas acompanham e controlam o fluxo de pessoas na parte interna do empreendimento, verificando se há qualquer movimentação estranha que possa colocar a vida dos moradores em risco.

Para que o monitoramento seja eficaz, confira se as câmeras possuem alta resolução, facilitando assim, o reconhecimento de todo e qualquer indivíduo que esteja transitando pelo local.

Outro fator bastante interessante, é que alguns equipamentos ainda permitem que as imagens sejam conectadas a dispositivos móveis, como os smartphones, facilitando a visualização das dependências do condomínio para todos os moradores.

3. Manutenção preventiva

No entanto, de nada adianta o condomínio ser equipado com sistemas de alta tecnologia se, no fim das contas, não há uma manutenção preventiva no local, correto? De tal forma que, vale a pena analisar as principais instalações dos ambientes para evitar dores de cabeça no futuro.

Como também os elevadores, que devem passar por manutenção periódica, a fim de prevenir que o equipamento funcione com peças velhas e desgastadas. O mesmo cuidado deve ser mantido em outras áreas do condomínio, como a portaria, as câmeras de vigilância, os sistemas de proteção contra incêndios, os espaços de lazer e convivência.

Caso seja possível, converse com o síndico ou gestor do empreendimento e informe-se sobre a frequência de manutenção nesses pontos. E com esse cuidado você e a sua família terão muito mais tranquilidade no seu novo apartamento.

4. Profissionais capacitados

Por fim, não deixe de checar se os profissionais responsáveis pela segurança do condomínio são capacitados e especializados no assunto. Infelizmente, muitos bandidos sabem que a falha humana existe e, vez ou outra, se aproveitam desse detalhe para invadir os empreendimentos.

Da mesma forma, é importante analisar os sistemas de segurança e vigilância, para saber se os profissionais responsáveis são capacitados para barrar a entrada de pessoas não autorizadas ou identificar qualquer anormalidade a tempo.

Portanto, converse com o zelador ou porteiro do prédio, para entender se eles são capacitados, se entendem a legislação e recebem treinamentos com frequência. Se preferir, fale com o síndico do prédio para obter mais informações.

Lembre-se de que essas práticas são essenciais para garantir que todos os moradores do condomínio estão protegidos.

E então, gostou das nossas dicas sobre segurança em condomínio? Para continuar por dentro de outros conteúdos exclusivos como este, assine a nossa newsletter e receba tudo em primeira mão!

Receba as nossas novidades de forma exclusiva!

fique por dentro! siga nossas redes sociais: